Segunda-feira, 19 de novembro de 2018

 
 

Bom dia,


Agenda doméstica. No Focus, o destaque é a revisão para baixo na inflação para esse ano e o próximo. A mediana das últimas atualizações do indicador segue abaixo da projeção geral, indicando que a direção deve seguir a mesma nas próximas semanas. A FGV divulgou o IGP-M e o IPC-S relativos à segunda semana de novembro, que mostraram desaceleração, na esteira do recuo do preço dos combustíveis. Além disso, o noticiário político segue ajudando a ditar o humor do mercado, com o destaque de hoje sendo a indicação do novo presidente da Petrobras, que comentamos abaixo, na seção de empresas.

a

Dia mais positivo lá fora. Especialmente na China, após declarações do presidente Trump, ainda na sexta passada, de que talvez não precise impor novas tarifas aos produtos chineses, indicando que os países podem chegar a um entendimento em breve. No final de semana, no entanto, em um encontro da APEC (Cooperação Econômica Ásia-Pacífico) uma declaração final não foi emitida por divergências exatamente entre os dois países. Na Europa, o Brexit ainda é destaque no noticiário, aparentemente longe de um consenso em torno da proposta da primeira-ministra. Destaque negativo para as ações da Renault, caindo mais de 11%, após acusações contra executivos do grupo Nissan-Renault-Mitsubishi. Os mercados asiáticos já estavam fechados quando saiu a notícia. Na agenda, apenas uma pesquisa da associação nacional de construtores dos EUA sobre a confiança do setor. Vale lembrar que a semana deve ser de liquidez comprometida tendo em vista o feriado em SP, amanhã, que fecha a Bolsa paulista, e o dia de ação de graças, nos EUA, na quinta.

 

Mudança no comando da Petrobras (PETR4). Foi confirmado, nesta manhã, que Roberto Castello Branco vai assumir a presidência da estatal no governo Bolsonaro. Economista formado pela FGV e com pós-doutorado na Universidade de Chicago, Castello Branco já ocupou cargo de direção no Banco Central e na Vale. Foi conselheiro da própria Petrobras. Além da formação liberal, o economista já defendeu publicamente a aceleração no programa de desinvestimento da Petrobras e se posicionou contra o controle de preços. A nomeação oficial só deve ocorrer em janeiro, e até lá, Ivan Monteiro segue à frente da estatal. O mercado deve receber a novidade de forma positiva.
   
Oi (OIBR4) gera caixa em setembro. A geração de caixa operacional líquida foi positiva em R$ 79 milhões em setembro, desempenho bem superior aos R$ 17 milhões de agosto e a média de R$ 328 milhões negativos de janeiro à agosto. Todavia, esse desempenho reflete principalmente a queda de 6,6% no volume de investimentos, já que o volume de recebimentos ficou praticamente estável no período em análise. Em setembro do ano anterior, a geração de caixa líquida atingiu R$ 182 milhões. Logo, mesmo com a ligeira recuperação reportada, a situação financeira da Oi segue delicada.

Sapore deve formalizar oferta pela IMC (MEAL3). A companhia informou que a controladora da Sapore enviou uma carta na qual comunica sua intenção de efetuar uma oferta por parte das ações da IMC e a futura combinação dos negócios das duas companhias. O preço sinalizado pela Sapore é de R$ 8,63 por ação.

AGENDA DE DIVIDENDOS



AGENDA DE RESULTADOS



Bons negócios