Sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Bom dia,

  1

  
 

  1

Noticiário político volta ao radar por falta de indicadores econômicos. A expectativa é que a reforma da previdência não atrase. No dia 24, haverá sessão pela manhã na CCJ. Pelo calendário estabelecido, depois de aprovada na CCJ, o texto passa para a votação em plenário no mesmo dia. Já na agenda de indicadores, a confiança da indústria caiu 0,2 ponto, em relação ao número final de agosto, para 95,4 pontos. O resultado negativo neste mês foi determinado pela piora das expectativas dos empresários, após duas altas consecutivas.

 
 

Sexta mais calma em semana agitada. Semana começou com os ataques à Saudi Aramco, que mexeu com a cotação do petróleo e teve várias reuniões de banco centrais, reforçando o viés mais dovish aqui e lá fora. Hoje, tanto o noticiário quanto a agenda macro não trazem grandes novidades, com destaque para a continuidade das conversas entre americanos e chineses, mas sem sinais de um acordo próximo, e para o discurso do presidente do Fed de Boston, que no rodízio entre presidentes regionais, tem direito a voto no FOMC nesse ano e vai participar das duas reuniões que restam, no final de outubro e no meio de dezembro. Na Alemanha, mais cedo, o PPI, a inflação ao produtor, veio abaixo do esperado, caindo 0,5% na comparação mensal. As Bolsas ao redor do mundo operam no campo positivo, mas sem grandes variações, com muitas próximas do 0x0.

 

               

 

Cosan (CSAN3) vende direitos. A companhia vendeu, a um fundo de investimentos, direitos creditórios no valor de R$ 400 milhões. Esse montante é pleiteado em ação contra a União Federal, em razão da "fixação de preços do açúcar e do álcool abaixo de seu custo de produção". A Cosan ainda terá direito a um valor adicional ao montante negociado, baseado em percentual fixo e atrelado ao prazo efetivo do recebimento de determinados direitos. Não há mais informações sobre o valor que a companhia poderia ganhar caso seguisse com a ação. De toda forma, o valor deve influenciar de forma positiva o balanço do terceiro trimestre. Suas ações devem responder de forma marginalmente positiva à novidade.

Vale (VALE3) sofre condenação judicial.
Foi a primeira sentença de uma ação judicial individual movida contra a companhia, em razão da tragédia de Brumadinho. O juiz determinou o pagamento de quase R$ 12 milhões em indenização aos familiares de três pessoas. A companhia ainda não manifestou se vai recorrer, de toda forma, a notícia é negativa
.

Banco Pan (BPAN4) capta R$ 521 milhões em oferta. O preço por ação foi fixado em R$ 8,25, abaixo, portanto, do atual patamar de negociação em Bolsa. A oferta movimentou R$ 1,04 bilhão, sendo que metade disso vai para o caixa do banco e o restante para a Caixa, que se desfez de parte de sua participação no Pan.
   
Split de ações do IRB (IRBR3).
Os acionistas posicionados no papel terão cada uma de suas ações desdobradas em três. Dessa forma, o preço da ação, que ontem fechou em R$ 112,14, deve passar para a faixa de R$ 37/R$ 38. Papel fica ex-split no dia 26, então nesse dia, os papéis já serão negociados no novo preço, mas as duas novas ações só estarão disponíveis para negociação no dia 30 desse mês
.

Lojas Renner (LREN3) distribuirá JCP. Terão direito aos juros os acionistas posicionados até o dia 24 deste mês, ficando ex-JCP no dia seguinte. O pagamento agendado para 2020, dez dias após a AGE. O valor do JCP é de R$ 0,0668 por ação, já líquido de IR. O yield da operação é de 1,32%.

Proventos da Copasa (CSMG3).
Será distribuído JCP no valor líquido de R$ 0,3505 por ação com base na posição acionária do próximo dia 24/09. Os papéis ficam ex no dia seguinte e o pagamento deve ocorrer em até 60 dias. O yield da distribuição, entretanto, é baixo, de apenas 0,5%.


Proventos de B3 (B3SA3), Cielo (CIEL3), SulAmérica (SULA11) e Unidas (LCAM3).
Começando pela B3 que, entre dividendos e JCP, vai pagar o valor de R$ 0,289 por ação. Yield é de 0,64% e o pagamento será em 7 de outubro. A Cielo paga o valor de R$ 0,028 em JCP. O pagamento será em 18 de novembro e o yield é de 0,28%. A SulAmérica paga R$ 0,131 em JCP por unit. O pagamento, no entanto, só em 17 de abril do ano que vem. Yield de 0,28%. Por fim, a Unidas paga R$ 0,222 por ação em JCP. Yield é de 0,41% e o pagamento será feito ainda nesse ano, em 4 de outubro. As quatro empresas ficam ex-proventos no mesmo dia, a próxima quarta-feira, dia 25, então os investidores posicionados ao final do pregão do dia 24 terão direito a receber os dividendos e JCPs. Todos os valores já são líquidos de IR
.

 



Bons negócios