Quinta-feira, 4 de abril de 2019

Bom dia,

  1

 

  1

Hoje Bolsonaro sai em defesa da reforma. Após os atritos com a oposição e a confusão na participação de Paulo Guedes na CCJ, ontem, hoje é a vez de Bolsonaro entrar no jogo. Na agenda do presidente, consta o encontro com presidentes de legendas como PSDB, PP, DEM e MDB. Esses encontros ganham ainda mais relevância, com a tensão de ontem deixando claro a necessidade do governo se empenhar nas articulações políticas, a fim de construir uma base sólida, capaz de levar a proposta adiante. Ficou evidente também que o caminho será longo e a oposição, mesmo enfraquecida, está organizada e faz barulho. Em termos de indicadores, a agenda conta apenas com a divulgação de dados da produção de veículos em março.

 

Bolsas de lado em dia morno. Mercado segue monitorando as negociações sino-americanas, mas sem notícias muito relevantes do encontro de quarta-feira, as principais Bolsas estão próximas da estabilidade. Os novos pedidos à indústria alemã caíram 4,2% em fevereiro na comparação com janeiro, mas o PMI da construção por lá mostrou o maior crescimento em mais de um ano, em março, Bolsa de Frankfurt opera em "vertiginosa" alta de 0,04%. O mercado também especula sobre uma possível forte revisão para baixo na projeção de crescimento do PIB italiano pelo governo local, pressionando o índice local. Em NY, os futuros apontam para uma abertura também no 0x0, com destaque negativo para a Tesla, que frustrou a expectativa do mercado quanto às entregas de veículos no 1T19. Sem basicamente nada relevante vindo de fora, os investidores por aqui devem seguir atentos às novidades sobre a reforma da previdência, com a participação de Paulo Guedes na CCJ ainda gerando muita repercussão, mas sem muito efeito prático, e os encontros de Bolsonaro com representantes de partidos pró-reforma, nessa quinta, sendo muito relevante para o andamento da proposta.

 

               

 

Vale (VALE3) assina acordos com municípios e governo de Minas. Foram firmados vários acordos, onde a Vale ficou responsável por realizar aportes financeiros, a fim de minimizar o impacto da paralisação das atividades produtivas da empresa sobre a arrecadação do estado e de municípios. Ao todo, a princípio, a medida vai atender a 10 municípios, com um aporte financeiro de até R$ 100 milhões. Já na esfera estadual vem sendo negociada a possibilidade de uma cobrança adicional de ICMS no valor de R$ 107 milhões por ano, a partir de 2020. Esse adicional também pode ter efeito retroativo de cinco anos, que daria mais R$ 550 milhões. A novidade, entretanto, deve exercer pouca influência sobre os papéis da companhia.

Multiplan (MULT3) fecha acordo com Delivery Center. Essa empresa, que é uma plataforma que, simplificadamente, integra o estoque do varejo físico com o online, vai ter exclusividade na operação de entrega nos shoppings da companhia e vai receber um aporte de R$ 12 milhões em troca de 18,79% do seu capital. No ano passado, a brMalls fechou um acordo semelhante com a Delivery Center, mas não abriu o tamanho do investimento nem o stake adquirido.

Trisul (TRIS3) lançou dois empreendimentos no final de semana.
São eles o Axis Vila Mariana e o Altez Ipiranga, ambos na cidade de SP, que já garantem 39% do piso do guidance de lançamentos da companhia no ano. Os dois projetos somados têm 355 unidade e um VGV para a Trisul de R$ 272 milhões. Boa notícia para a incorporadora.


 

  
Bons negócios.