Sexta-feira, 31 de agosto de 2018

 
 

Bom dia,


PIB cresce menos no 2T18. Impactado pela greve dos caminhoneiros, o crescimento do PIB brasileiro desacelerou, ainda assim, se manteve no campo positivo em 0,2% na comparação trimestral, puxado pela alta de 0,3% no setor de serviços, com estabilidade na atividade agropecuária e retração de 0,6% na indústria. Na comparação com o 2T17, a alta foi de 1,0% e no acumulado dos últimos quatro trimestres, o crescimento econômico do país é de 1,4%.

a

Inflação e desemprego praticamente estáveis na Europa. Os dois indicadores divulgados mais cedo pelo Eurostat não trouxeram grande novidade, com a taxa de desemprego de julho em linha com a observada no mês anterior em 8,2%. França, Itália e Espanha são os destaques negativos, com taxas acima da média do bloco enquanto a Alemanha segue na outra ponta com desemprego em 3,4%. Sobre a inflação, o CPI europeu apresentou leve arrefecimento para 2,0% na prévia de agosto, mesmo com a forte pressão nos preços de energia, se mantendo em linha com a meta do BCE, o que afasta a possibilidade de uma mudança brusca na tocada da política monetária por lá.

Agenda amena nos EUA. Nessa sexta, o ISM divulga a sondagem da atividade na região de Chicago e também teremos a confiança do consumidor divulgada pela Universidade de Michigan, que não devem ter um efeito relevante. Quem movimenta de fato os mercados nessa sexta, para variar, é o presidente Trump, com declarações que colocam em xeque a aproximação com a Europa, que culminou em uma trégua anunciada no mês passado. O mandatário americano, em uma entrevista, disse que a União Europeia é “tão ruim quanto a China, só que menor”. Além disso, a expectativa é que a próxima rodada de tarifas sobre produtos chineses deve ser anunciada na próxima semana.

PMI oficial chinês apresenta alta em agosto. O crescimento do setor industrial da China apresentou aceleração no mês de agosto, surpreendendo o mercado que esperava por um arrefecimento, por conta da guerra comercial com os EUA. O PMI da indústria subiu a 51,3 em agosto ante 51,2 em julho, permanecendo acima da marca de 50 que separa crescimento de contração. Já o PMI oficial de serviços avançou para 54,2 em agosto ante os 54,0 na última divulgação e também acima das estimativas de mercado que apontavam para algo em torno de 53,7.

Bolsas seguem em queda. Os temores quanto a um acirramento da guerra comercial pesam sobre os ativos de renda variável nesta manhã. A crise da Argentina também tem elevado a aversão global ao risco. Nesse cenário, nem a surpresa positiva com os dados de produção industrial do gigante asiático, que comentamos acima, foi suficiente para reverter o desempenho negativo das Bolsas asiáticas e europeias nesta sexta-feira.

 
  

ANTT aprova prorrogação de concessão da Rumo (RAIL3). Em reunião extraordinária ontem, a diretoria da Agência Nacional dos Transportes Terrestres aprovou o processo de prorrogação do contrato de concessão da Malha Paulista da Rumo por mais trinta anos. A concessão ferroviária vencerá agora somente em 2058 e terá como contrapartida investimentos no montante de R$ 5 bilhões, aproximadamente, destinados principalmente à duplicação de 110 km de ferrovia na região de Campinas-SP, extensão de todos os pátios para 2,5 km de vias e construção de oito novos pátios para acomodação de trens. Além desses investimentos operacionais nos próximos seis anos, há também a intenção de reverter o valor que seria pago pela empresa a título de outorga pelo prazo adicional da concessão, algo em torno de R$ 1,5 bilhão, em readequações da malha ferroviária como contornos e viadutos de forma a reduzir os conflitos urbanos em cidades cortadas pela Malha Paulista. Por fim, cabe registrar que a decisão da ANTT já foi publicada no Diário Oficial da União e agora será encaminhada para o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação e, posteriormente, ao Tribunal de Contas da União. Como temos alertado em nossas publicação sobre a companhia, a questão da renovação antecipada da concessão da Malha Paulista era fundamental para a execução do plano de investimentos da Rumo no médio/longo prazo e, portanto, esperamos reação positiva dos papéis RAIL3 em bolsa.

Movida (MOVI3) e Avis Budget pretendem firmar aliança no Brasil. A companhia informou que assinou carta de intenção, não vinculante, com a Avis Budget de modo em que a Movida se tornará a franqueadora master da empresa norte-americana no Brasil por dez anos, renováveis por mais dez. Com a aliança, todos os clientes da Movida serão atendidos em mais de 180 países através da rede Avis Budget. Além disso, há a possibilidade de aquisição pela Movida de 4,4 mil carros, aproximadamente, com valor estimado de R$ 150 milhões com prazo de pagamento de um ano, de forma a reforçar a frota operacional da empresa para atender todo o país. Vemos essa transação de maneira bastante semelhante ao movimento feito pela Localiza (RENT3) com a Hertz no ano passado e que tem gerado bons resultados para a empresa, o que sustenta nossa tese de que essa aliança poderá beneficiar bastante a Movida e, consequentemente, seus ativos em bolsa. Por último, a companhia também informou a extensão do prazo para o exercício de direito de preferência, que venceria hoje e passou para o dia 17/set/18, no âmbito do aumento de capital em andamento.

BB (BBAS3) anuncia JCP trimestral. O banco vai pagar R$ 0,07266 (já descontando o IR) por ação para os acionistas posicionados ao final do dia 11 de setembro. No dia 12, os papéis “acordam” ex e o pagamento será no dia 28 do mesmo mês. O yield dessa distribuição, no entanto, é pequenininho, de 0,24%.

AGENDA DE DIVIDENDOS



Bons negócios