Segunda-feira, 24 de setembro de 2018

 
 

Bom dia,


Inflação avança e confiança recua. O IPC-S registrou alta de 0,32% na última semana, acelerando frente aos 0,19% da leitura anterior, sobretudo por conta da alta nos preços de transportes e vestuário. Já a confiança do consumidor caiu 1,7 ponto em setembro, para 82,1, principalmente em razão da piora na expectativa, com o componente que mede o otimismo com a evolução da economia caindo ao menor patamar desde maio de 2016.
 
Câmbio deve permanecer pressionado. Segundo o Boletim Focus dessa semana, a taxa de câmbio no fechamento desse ano deve ficar em R$ 3,90, ante dos R$ 3,83 projetados há uma semana. Para 2019, a mediana das projeções saiu de R$ 3,75 para R$ 3,80 na mesma base de comparação. Além disso, houve nova elevação nas previsões para o IPCA, tanto nesse quanto para o próximo ano, ficando agora em 4,28% e 4,18% respectivamente. Para juros e PIB, não houve alterações relevantes nessa leitura.

a

Na Alemanha, confiança tem ligeiro arrefecimento. Em setembro, o índice que mede a confiança das empresas alemãs caiu para 103,7 pontos, denotando leve desaceleração frente aos 103,9 pontos registrados em agosto. Esse resultado reflete principalmente a piora na avaliação dos agentes quanto à situação atual dos negócios na indústria, que foi parcialmente compensada pelo novo recorde na confiança da construção e melhora no comércio. De toda forma, a divulgação ficou em linha com as estimativas, haja vista que o índice segue em patamar historicamente elevado.

Bolsas iniciam a semana em queda. O tom negativo desta segunda-feira reflete o aumento dos temores quanto a uma guerra comercial mais nociva, após a China acusar os EUA de "intimidação comercial", colocando dúvidas em torno de uma possível negociação entre os países. O feriado em boa parte dos países asiáticos reduziu a liquidez, contribuindo para o desempenho mais negativo das Bolsas. Ainda pela manhã saem alguns indicadores do Fed, cuja expectativas são positivas, mas que não devem influir de forma relevante nos mercados bursáteis, onde o noticiário político continuará em destaque.

 
  

Movida (MOVI3) levanta R$ 213 milhões em oferta. O valor corresponde a 68,46% do valor máximo esperado pela companhia. Agora, de hoje até sexta-feira, dia 28, os acionistas que subscreveram ações na oferta, podem manifestar o interesse nas sobras de ações da oferta, ainda ao preço de R$ 6,26.

BrProperties (BRPR3) anuncia saída de locatário em torre no Rio. A Petrobras já havia devolvido uma área de 8,7 mil m² na torre oeste do empreendimento Ventura Corporate Towers no começo desse ano e manifestado a intenção de desocupar 21,9 mil m² dos 44,9 mil m² que ocupava na torre leste do mesmo complexo. Agora, a empresa anunciou a intenção de desocupar todo o restante da área locada no segundo semestre de 2019. Notícia negativa para a BrProperties que deve ter sua vacância bastante afetada pelas devoluções da Petro.

Valid (VLID3), Multiplan (MULT3) e Localiza (RENT3) anunciam JCP. A Valid vai pagar R$ 0,20 líquido de IR por ação para os acionistas posicionados ao final do pregão de quarta-feira, dia 26. Papel fica ex na quinta e o pagamento será em 11 de outubro. Yield de 1,5%. A companhia de shoppings vai pagar R$ 0,1144 (valor já líquido) por ação também para os acionistas posicionados ao final do pregão do dia 26 de setembro. Papéis já acordam ex no dia 27, quinta-feira, mas o pagamento será até o dia 31 de maio do ano que vem. Yield é pequeno, de 0,6%. Já a Localiza, paga R$ 0,0572, também líquido de IR, mas com base na posição ao final do dia 27. Ex no dia seguinte. O yield também é pequeno, de 0,24% e o pagamento será no dia 16 de novembro desse ano.

Odontoprev (ODPV3) aprova pagamento de JCP. A companhia aprovou a distribuição de JCP para os acionistas posicionados no papel até o dia 26 de setembro de 2018. O valor dos juros sobre o capital próprio já líquido de imposto é de R$ 0,0232 por ação, com pagamento no dia 03 de outubro e um yield de apenas 0,18%.

RD (RADL3) distribuirá JCP. A companhia distribuirá JCP que serão pagos até o dia 31 de maio de 2019. O valor líquido a ser pago por ação é de R$ 0,1342 para investidores posicionados até o dia 26, sendo que a partir de 27 as ações serão negociadas ex-juros sobre capital próprio. O yield dessa operação é de 0,17%.

Guararapes (GUAR4) pagará JCP. A companhia pagará JCP no valor líquido correspondente a R$ 0,3991 por ON e R$ 0,54390 por PN, sendo que a data do pagamento será deliberada na AGO de 2019. Farão jus aos juros os acionistas da companhia detentores de ações nesta quarta-feira. O yield dessa operação é de 0,38% para as ON e 0,61% para as ações PN.

AGENDA DE DIVIDENDOS



Bons negócios