Segunda-feira, 20 de agosto de 2018

 
 

Bom dia,


Focus sem surpresas e Monitor do PIB positivo. No Boletim Focus dessa semana, as projeções de mercado para os principais indicadores (IPCA, PIB, câmbio e Selic) mostraram estabilidade tanto para esse ano quanto para 2019, não trazendo novidades. A FGV divulgou o seu Monitor do PIB nessa manhã com alta de 0,3% no segundo trimestre sobre o trimestre imediatamente anterior, mostrando que os efeitos da greve dos caminhoneiros em setores industriais e nas exportações foram compensados pelo crescimento da agropecuária, serviços e consumo das famílias. Além disso, em junho, os segmentos que tiveram forte retração em maio já mostraram uma boa recuperação. Vale lembrar que no primeiro trimestre o índice havia registrado elevação de 0,2% na comparação trimestral, abaixo, portanto, da variação divulgada hoje.

a

Bolsas no azul em dia de agenda morna lá fora. Sem indicadores relevantes no radar, os investidores seguem atentos à disputa comercial envolvendo EUA e China que terá novos capítulos nessa semana com um encontro de autoridades dos dois países nos próximos dias. A expectativa de um desfecho mais positivo dessas reuniões leva as principais Bolsas a uma leve alta nessa segunda. Na agenda hoje, há o discurso do presidente do Fed de Atlanta, Raphael Bostic, que tem direito a voto no FOMC nesse ano. Falando em Fed, os bancos centrais estão em destaque nessa semana, com a divulgação da ata da última reunião do FOMC que acontece na quarta e com o simpósio de Jackson Hole, organizado pelo Fed de Kansas City, que reúne autoridades monetárias de todo o mundo que começa na quinta, dia 23.

 


Agora é concreto, Marfrig (MRFG3) vende Keystone. Notícia positiva que deverá levar as ações da Marfrig para o campo positivo no pregão de hoje. A companhia vendeu a Keystone para a Tyson Foods pelo valor aproximado de US$ 2,4 bilhões, sendo US$ 1,4 bilhão de equity e o restante de dívidas. A transação veio um pouco abaixo do que o mercado esperava, pois contempla a venda dos ativos da Keystone Foods exceto a planta de hambúrgueres de North Baltimore, no estado de Ohio, que tem um faturamento de quase US$ 1 bilhão por ano e representa 30% do faturamento da Keystone.

CSN (CSNA3) anuncia dividendos e reperfilamento de dívidas. A siderúrgica concluiu a negociação dos principais termos do reperfilamento de sua dívida de curto prazo com o Bradesco, além de anunciar a distribuição extraordinária de proventos, no montante de R$ 890 milhões. O dividendo de R$ 0,6415 por ação equivale a um yield de mais de 7% e os papéis passam a ser negociados como ex já nesta terça-feira (21/08). O pagamento está previsto para ocorrer em 29/08. Mesmo que o novo cronograma de amortização de suas dívidas não tenha sido divulgado ao mercado, as novidades devem favorecer o desempenho de suas ações no curto prazo.

Incêndio atinge refinaria da Petrobras (PETR4). Na madrugada desta segunda-feira foi registrado um incêndio na Refinaria de Paulínia (Replan), em SP. O acidente já foi controlado e não há feridos, segundo comunicado da própria companhia. A produção, entretanto, foi "preventivamente paralisada e uma comissão será instaurada para avaliar as causas da ocorrência". Também não há, ainda, uma previsão para a retomada das operações na Replan. As ações PETR4 devem responder de forma marginalmente negativa à notícia.

Fleury (FLRY3) trocará sede em São Paulo. A rede de medicina diagnóstica anunciou que celebrou contrato de locação, no modelo built to suit, com a BSP Empreendimentos Imobiliários para alocar a nova área técnica da companhia na cidade de São Paulo, além de unidades de atendimento e escritórios administrativos. A BSP será responsável pela construção do imóvel, sendo que após sua conclusão e entrega o prazo de locação será de 244 meses, com 4 meses de carência, com aluguel mensal de R$ 1,3 milhão a ser corrigido monetariamente pelo IGP-M. Mantemos nossa visão positiva sobre o grupo Fleury, pois se trata de um case interessante em bolsa que atravessou uma prolongada reestruturação e agora está executando o plano de expansão operacional que fortalecerá ainda mais seus resultados, como destacamos em relatório de análise especial.

AGENDA DE DIVIDENDOS



Bons negócios