Sexta-feira, 19 de outubro de 2018

 
 

Bom dia,


Inflação arrefece, mas política prepondera. O IGP-M apresentou alta de 0,97% na segunda prévia de outubro, valor ligeiramente inferior aos 1,34% registrados em setembro. A desaceleração nos preços de produtos de origem agropecuária foi o principal destaque nessa divulgação. As atenções, entretanto, seguem voltadas para o noticiário político, mesmo após o Datafolha de ontem reiterar a vantagem de Jair Bolsonaro, que possui 59% das intenções de voto contra 41% de Haddad. Uma tentativa do PT de barrar o candidato do PSL na justiça fica no radar, embora vista como de ínfima probabilidade, bem como qualquer indício sobre a condução econômica no próximo governo.

a

Atividade perde fôlego na China. O PIB do gigante asiático avançou 6,5% no terceiro trimestre, ficando aquém dos 6,7% da última leitura e dos 6,6% esperados. A produção industrial de setembro também decepcionou ao mostrar desaceleração de 6,1% para 5,8% em um mês. Por outro lado, as vendas no varejo e os investimentos em ativos fixos superaram as expectativas, com alta anual de 9,2% e 5,4% respectivamente.

Dia agitado na China, mas mais quieto no resto do mundo. A agenda de indicadores veio bem concentrada no maior país asiático, enquanto na Europa e nos EUA, os mercados parecem orbitar a estabilidade com variações pequenas nas Bolsas europeias e nos futuros americanos. Dados do BCE mostraram superávit nas transações correntes. Nos EUA, dados da associação nacional de corretores imobiliários ficam no radar dos investidores, assim como discursos de presidentes regionais do Fed, mas nenhum com direito a voto no próximo ano.

 


Prévia operacional da Embraer (EMBR3). A companhia entregou 39 jatos no terceiro trimestre, abaixo dos 45 de um ano antes e com um mix diferente, também. Foram 10 jatos a menos na aviação comercial, parcialmente compensados por 4 jatos a mais na executiva. Na comparação com o 2T18, a diferença é de 20 jatos a menos, toda essa diferença em aviação comercial. Esperamos reação negativa do mercado aos dados trimestrais.

Dividendo da CCR (CCRO3). A companhia de concessões anunciou que vai pagar R$ 0,396 para os acionistas posicionados ao final do dia 23 de outubro. No dia 24, quarta-feira da próxima semana, os papéis já abrem negociando ex-dividendos. Pagamento será em 31 de outubro e o yield é de 3,9%.

Notre Dame Intermédica (GNDI3) tem aprovação do CADE. A companhia recebeu a aprovação do CADE e da ANS sem restrições para a aquisição do Grupo Samed feita em junho deste ano. A Samed representará 4% à receita líquida da Notre Dame, percentual não tão relevante, mas muito importante para a consolidação da empresa na região de Mogi das Cruzes e Suzano.

Alpargatas (ALPA4) apresenta seu plano se sucessão. A companhia anunciou que já tem um sucessor para o Diretor Presidente, Márcio Luiz Simões Utsch. Depois de 21 anos na empresa, sendo 15 deles como presidente, Márcio Utsch será substituído por Roberto Funari, atual membro do conselho de administração da Alpargatas, período de transição será até o 1T19.

Leilão da Cesp (CESP6) previsto para hoje.
Entre 9h e 10h, os interessados devem entregar suas propostas, que serão abertas na B3, às 14h. Contudo, há uma grande incerteza com relação ao certame, após a suspensão da renovação da concessão da usina Porto Primavera, por uma liminar judicial deferida no final da tarde de ontem. Caso a decisão não seja revertida em tempo hábil, a novidade deve afastar interessados ou até mesmo culminar em um novo adiamento. Entre os potenciais interessados, segundo matéria do Valor, destacam-se o grupo Votorantim, em parceria com um fundo canadense, e as gestoras Squadra e a Pátria Investimentos.

AGENDA DE DIVIDENDOS



Bons negócios