Quarta-feira, 18 de julho de 2018

 
 

Bom dia,


Inflação vem arrefecendo. O IPC-Fipe desacelerou na segunda quadrissemana de julho avançando 0,37%, 0,58 p.p. abaixo da primeira medição do mês. O IGP-M também veio menor em julho, variando 0,53% contra alta de 1,75% registrada no mês anterior. Esse resultado reflete a forte queda tanto nos preços ao produtor quanto do consumidor.

a

Inflação e construção na Zona do Euro vêm dentro das expectativas. A inflação ao consumidor da zona do euro avançou 0,1% em junho ante o mês anterior, e apresentou elevação de 2% no ano, vindo dentro das projeções de mercado. Já o índice de construção civil apresentou alta mensal de 0,3% em maio e manteve o ritmo de crescimento anual em 1,8%, com a maior pujança em países como a Alemanha e a Hungria compensando o resultado negativo da França.

Agenda bem carregada nos EUA. Após um discurso mais gradualista no Senado, que acabou animando os mercados, o presidente do Fed, Jerome Powell, falará hoje na Câmara dando mais gás aos mercados caso mantenha o viés. O dia de hoje ainda reserva dados do setor de construção civil e o Fed divulgará o Livro Bege, trazendo uma avaliação da situação da economia norte-americana.

Bolsas sobem na esteira de Powell.
O discurso mais dovish do presidente do Fed na sabatina do Senado americano dita o tom mais positivo das Bolsas ao redor do mundo. Destoa desse movimento as Bolsas chinesas, que entre temores sobre a guerra comercial com os EUA e o início dos impactos dessa disputa nos indicadores econômicos, seguem pressionadas.

        

a
Weg (WEGE3) fecha semestre com bom desempenho. Os números da companhia ficaram ligeiramente acima do esperado nesse segundo trimestre, com a incorporação dos negócios de turbinas a vapor (TGM), de transformadores, nos EUA, e a maior demanda na área de geração, transmissão e distribuição de energia puxando o faturamento do trimestre. O câmbio foi outro fator positivo, pois o mercado externo foi responsável por cerca de 60% da receita líquida consolidada da Weg. Por outro lado, a margem EBITDA seguiu pressionada, caindo dos 16,2% registrados há doze meses para 15,2% agora, enquanto o EBITDA subiu 25,6% na mesma base de comparação. Contudo, vislumbramos que os papéis WEGE3 tendem a responder de forma positiva à divulgação.

Privatização de distribuidoras da Eletrobras (ELET6) está de volta no jogo. Foi suspensa a liminar que impedia o leilão das seis distribuidoras da companhia, por uma ação movida pela associação dos empregados da Eletrobras. O desembargador federal André Fontes considerou que o certame já foi aprovado por diversos meios, inclusive pelo TCU e, portanto, acatou o pedido da União, que alegou que a venda é "essencial para garantir a sustentabilidade da Eletrobras, sobretudo, diante do cenário de crise fiscal". A novidade certamente irá impulsionar os papéis da Eletrobras hoje.

Vale (VALE3) irá realizar nova provisão no 2T18. A mineradora irá provisionar R$ 1,5 bilhão nesse segundo trimestre para os programas gerenciados pela Fundação Renova, que visa a reparação e compensação dos impactos causados pelo rompimento da barragem da Samarco, em Mariana - MG. Cabe lembrar que no 2T16 foram provisionados R$ 3,7 bilhões para esse fim, e que a nova provisão "equivale a 50% das obrigações adicionais da Samarco pelos próximos 12 anos". Os papéis da companhia devem reagir de forma negativa ao longo do pregão hoje.

Embraer (EMBR3) anuncia série de acordos, mas noticiário político pode pesar. A companhia anunciou no decorrer dos últimos dias acordos que totalizam quase US$ 15 bilhões entre pedidos firmes e opções de compra. Notícias muito positivas, mas que devem seguir tendo pouco impacto nos papéis da companhia. E a principal razão é o acordo de venda da divisão comercial para a Boeing. A novidade nesse sentido é a notícia do Valor sobre o posicionamento contrário ao negócio do candidato Ciro Gomes, algo até esperado, mas que pode levar a uma realização no curto prazo. Vale lembrar que mesmo com a queda dos papéis após o anúncio oficial do acordo, as ações da Embraer acumulam mais de 30% de valorização desde que a companhia confirmou as tratativas com a Boeing no final de dezembro, enquanto o Ibovespa oscilou bastante nesse período e tem variação positiva de pouco mais de 5%.


AGENDA DE DIVIDENDOS



Bons negócios