Segunda-feira, 13 de agosto de 2018

 
 

Bom dia,


Nova alta na projeção para inflação. No Boletim Focus desta semana, a mediana das estimativas de mercado para a inflação, novamente apresentaram elevação para este ano. A previsão para o IGP-M foi para 7,82%, ante os 7,74% da semana passada, enquanto que as previsões para o IPCA ficaram em 4,15%, ante os 4,11% da última divulgação. O PIB também apresentou mudança, saindo de uma projeção de 1,50% para 1,49% neste ano. No mais, as estimativas para os demais indicadores macroeconômicos principais seguem sem alterações. Pela agenda de hoje, ainda conheceremos a balança comercial, no meio da tarde.

a

Pressão nas Bolsas lá fora. A questão turca ainda impacta bastante os mercados nessa segunda, em dia sem indicadores relevantes nas principais economias do mundo. As Bolsas asiáticas fecharam em forte queda, seguindo o movimento de sexta-feira nos pregões ocidentais. Na Europa, as Bolsas também operam em queda, com a aversão ao risco ainda bem presente nos mercados. O destaque, claro, para a Bolsa de Istambul que cai mais de 5% nessa segunda. Após o pregão de hoje, já à noite, alguns indicadores importantes da China serão divulgados e deverão ajudar a balizar os mercados amanhã.

 


Argentina afeta resultado da Alpargatas (ALPA4). A companhia reportou crescimento de 3,6% em sua receita líquida, com o Brasil compensando a queda nos demais mercados. Nesse 2T18, o destaque ficou com o e-commerce, que cresceu 47,0%, além do crescimento de 5,1% nas vendas mesmas lojas. O EBITDA consolidado cresceu 12,4%, com margem subindo 0,8 p.p. quando comparada à do mesmo período de 2017. Já o lucro líquido do trimestre veio 66,4% menor se comparado ao 2T17. As variações mais significativas do lucro líquido consolidado do 2T18 foram as indenizações trabalhistas na Argentina devido à readequação da estrutura frente ao cenário macroeconômico, o aumento das despesas financeiras e a variação cambial. Além da divulgação de resultado, a companhia anunciou a distribuição de juros sobre capital próprio de R$ 0,0724 por ação preferencial. As ações ficarão ex-JCP no dia 20 e serão pagos no dia 18 de setembro.

Renova (RNEW11) segue com prejuízo. A geradora seguiu com números fracos neste 2T18, com o elevado dispêndio com compra de energia para revenda se sobressaindo à redução dos demais custos operacionais, com a venda do Complexo Alto Sertão II, e à alta de quase 11% na receita líquida consolidada. Com isso o EBITDA, que ficou negativo em R$ 11,8 milhões no 2T17, foi de R$ 67,1 milhões negativos agora. Já o prejuízo foi de R$ 125,1 milhões, enquanto a dívida líquida seguiu em trajetória ascendente, atingindo R$ 1,85 bilhão neste trimestre. Nesse contexto, os ativos RNEW11 seguem como opção apenas para investidores com alto apetite para risco.

Balanço operacional da B3 (B3SA3). Os números referentes a julho foram apresentados pela companhia e, mesmo sendo historicamente um mês de menor volume negociado, se teve bom registro de negócios em suas plataformas de negociação de ativos. No segmento Bovespa, o volume financeiro se elevou em 48,0% sobre jul/17, com volume médio diário acima dos R$ 9 bilhões. Já em derivativos, o volume médio teve ligeira queda de 6,8%, mas a receita média por contrato negociado diariamente na BM&F saltou 26,8% entre os períodos, compensando a geração de receita da B3 neste segmento. No mercado de balcão (Cetip), o registro de renda fixa teve alta de 5,0% e o volume financeiro em permanência se elevou em 13,5%, ambos em relação ao sétimo mês de 2017. Por fim, na unidade de financiamentos da Cetip houve aumento de 7,3% sobre jul/17 no total de veículos financiados. Consideramos bastante consistente o balanço operacional de julho, deixando boas expectativas para os resultados financeiros do terceiro trimestre da B3.

BRF (BRFS3) tem nota de crédito rebaixada. Mais uma notícia negativa para a BRF. Na última sexta-feira, a agência de classificação de risco S&P cortou a nota de crédito da BRF em escala global de BB+ para BB e reafirmou o rating em escala nacional em brAAA. A perspectiva para ambos ratings é negativa.

Locamerica (LCAM3) solta seu balanço hoje. As expectativas são bastante positivas para o resultado da companhia, sobretudo por conta da consolidação das operações da Unidas. Sobre os números consolidados no 2º trim/17, se espera que a receita líquida salte de R$ 263,1 milhões para algo em torno dos R$ 800 milhões, o EBITDA de R$ 81,8 milhões para acima de R$ 200 milhões e que o lucro líquido saia dos R$ 9,9 milhões para algo ao redor dos R$ 50 milhões no segundo trimestre deste ano. Diante das estimativas otimistas, os ativos LCAM3 já poderão ficar no campo positivo.

Resultado da Oi (OIBR4) ainda deverá vir fraco. Está agendada para após o pregão de hoje a divulgação do balanço do 2º Trim/18 da operadora que neste período iniciou a primeira oferta de ações no âmbito do plano de recuperação judicial. Sobre os números trimestrais comparados com o 2º Trim/17, as estimativas dão conta de uma queda de 5% na receita líquida e em maior escala no EBITDA (-7%) mesmo com os cortes nos gastos operacionais que a companhia vem implementando. Já em virtude da renegociação das dívidas o impacto do resultado financeiro negativo tende a ser menor no período, levando ao prejuízo a diminuir nesta base de comparação. De qualquer maneira, não esperamos grandes reações dos papéis OIBR4 em função do resultado.

Metal Leve (LEVE3) deve divulgar bom resultado. O desempenho da companhia deve ser favorecido pela maior pujança na indústria automotiva do Brasil e Argentina, ambos considerados mercado doméstico pela MAHLE, bem como pelas exportações, onde além da demanda aquecida no NAFTA e, em menor escala, na Europa, o câmbio também deve trazer impacto positivo. Estimativas apontam para uma alta de quase 10% no EBITDA, frente ao 2T17, com gradual ganho de margem, que pode atingir cerca de 19% neste 2T18.

Alupar (ALUP11) também divulga resultado hoje, após o pregão. E as expectativas são positivas para o resultado da companhia, com a redução na receita anual permitida de alguns empreendimentos sendo mais do que compensada pela melhora no resultado de geração, dado o menor custo com compra de energia e a entrada parcial em operação da PCH Verde 08, a partir de junho. Logo, suas ações podem responder de forma marginalmente positiva ao longo do pregão hoje.

AGENDA DE DIVIDENDOS



AGENDA DE RESULTADOS



Bons negócios