Terça-feira, 11 de setembro de 2018

 
 

Bom dia,


Pesquisa e inflação no radar. A primeira prévia de setembro do IGP-M foi divulgada pela FGV e o indicador acelerou para 0,79%. A inflação ao produtor apresentou forte alta, puxada pelos preços das matérias-primas, enquanto a inflação ao consumidor apresentou variação negativa nessa leitura. Quanto à pesquisa do Datafolha, não tivemos grandes novidades. Bolsonaro se fortalece na liderança, enquanto Marina Silva segue caindo, embolando a disputa pelo segundo lugar com Ciro, Alckmin e Haddad. Sem grandes pistas sobre o destino do pleito, o mercado deve seguir em compasso de espera por mais novidades.

a

Confiança em recuperação na Europa. Em setembro, o índice de expectativas avançou 3,9 pontos na zona do euro e 3,1 pontos na Alemanha, sobretudo pelo arrefecimento dos temores relacionados à política comercial norte-americana, após o acordo entre os EUA e o México, e diante da menor expectativa de inflação. Todavia, os índices seguem em território negativo,  em -7,2 e -10,6 pontos, respectivamente, em reflexo, principalmente, da recuperação econômica demasiadamente lenta e dos riscos políticos locais.

Nos Estados Unidos, confiança também sobe. Nesse caso, trata-se da confiança dos pequenos empresários que, em agosto, atingiu o melhor resultado desde o início da série, em 108,8 pontos. A reforma tributária já tem se traduzido em maiores lucros, fato que aliado ao crescimento no volume de vendas tem gerado otimismo e aumentado o número de contratações. Nesse sentido, vale ficar atento ao número de criação de empregos em julho, que será divulgado ainda hoje, às 11 horas. Ficam no radar também as negociações comerciais entre Washington e Pequim, após uma segunda-feira amena.

Bolsas pressionadas. Em dia sem grandes novidades lá fora, onde o destaque é a notícia que Trump e Kim Jong-un devem se encontrar novamente, as Bolsas operam em queda moderada, ainda de olho nas disputas comerciais de Trump, especialmente com a China. Quem destoa desse movimento é a Bolsa japonesa, que fechou em alta novamente, ainda na esteira da revisão positiva do PIB do segundo trimestre.

 
  

Azul (AZUL4) divulga prévia operacional positiva em agosto. A cia aérea viu a demanda se expandir tanto no mercado doméstico quanto em voos internacionais, com melhora na taxa de ocupação consolidada. O avanço na demanda foi de 14,6% em voos domésticos e 43,4% nos internacionais. Esperamos reação positiva do mercado aos bons números da companhia no último mês.

Ser (SEER3) distribuirá proventos. A companhia anunciou a distribuição de dividendos no valor de R$ 0,151 por ação. As ações ficaram ex dividendos no dia 13 deste mês e o pagamento está programado para o próximo dia 25. O yield é de cerca de 1%.

Bradespar (BRAP4) negocia acordo para encerrar disputa judicial. Segundo matéria veiculada no Valor, a Bradespar e Litel estão negociando os termos finais de um acordo com a Elétron, que recorreu a justiça por não ter conseguido exercer uma opção de compra de ações da Valepar, há mais de dez anos. O valor, segundo a matéria, deve ficar entre R$ 2,5 bilhões e R$ 3,0 bilhões segundo a matéria, aquém dos R$ 5 bilhões definidos pela justiça do Rio de Janeiro. Faltaria definir o prazo e a forma de pagamento. De toda forma, a notícia deve favorecer o desempenho das ações da Bradespar no pregão de hoje.

AGENDA DE DIVIDENDOS

Bons negócios