Quarta-feira, 11 de julho de 2018

 
 

Bom dia,


Inflação desacelera. Conforme a expectativa, o impacto da greve dos caminhoneiros sobre os preços foi pontual e, portanto, os preços já voltaram a avançar de forma mais moderada no começo desse mês. O IGP-M apresentou variação de 0,41%, contra 1,50% registrados na última leitura, com a deflação em matérias-primas brutas puxando para baixo os preços ao produtor e com decréscimo em quatro das oito classes de despesas nos preços ao consumidor. Já o IPC do município de São Paulo subiu 0,63%, com três das sete classes apresentando deflação no período.

a

Inflação no radar norte-americano. Hoje, o destaque da agenda fica com a divulgação dos dados da inflação ao produtor em junho e com o discurso de John Williams, que assumiu o Fed de NY no mês passado e pode dar alguma sinalização a respeito da condução da política monetária no curto e médio prazo. Ademais, será divulgado o número de pedidos de hipotecas além do estoque de petróleo bruto, que certamente irá movimentar a cotação da commodity ao longo do dia. O noticiário em torno da guerra comercial desencadeada por Donald Trump também deve ser monitorado pelos investidores nesta quarta-feira.
   
Guerra comercial volta a pesar lá fora. As Bolsas da Ásia e da Europa já fecharam ou operam em baixa nesta manhã, com a retórica de Trump suscitando novos temores quanto à uma guerra comercial. O ministro do comércio da China recriminou a postura dos EUA, que planeja tarifar mais US$ 200 bilhões em produtos chineses, e disse que irá replicar as tarifas "dólar por dólar".

 

a
Valid (VLID3) anuncia contrato com cidade americana. A companhia vai implantar o sistema de identificação municipal da cidade de Providence, no estado de Rhode Island. O foco da iniciativa da prefeitura é facilitar o acesso aos serviços municipais para parte da população sem documentos, especialmente imigrantes. É uma iniciativa que já acontece em algumas cidades americanas. A solução oferecida pela Valid parece facilmente replicável em outras cidades e esse primeiro contrato pode ser importante para a empresa mostrar sua viabilidade e confiabilidade. Vemos esse como o principal benefício da notícia, já que esse contrato específico não deve gerar um resultado extraordinário. No noticiário local, o prefeito comentou que a cidade de Providence incluiu cerca de US$ 150 mil no orçamento desse ano para o projeto e cada carteira custará para os moradores da cidade entre US$ 5 e US$ 15. Sendo que a cidade tem menos de 200 mil pessoas.

Vendas da Even (EVEN3) melhoram, mas distratos seguem elevados.
A companhia lançou apenas um empreendimento nesse trimestre, no valor total de R$ 257 milhões e vendeu R$ 329 milhões, com a velocidade de vendas se recuperando frente aos últimos trimestres. Em termos de vendas brutas, foi o melhor trimestre da Even em dois anos. A má notícia é que os distratos seguiram elevados, acima até do patamar do 1T18. Isso ocorre quando o volume de entregas tem diminuído bastante, ou seja, quando o volume de distratos deveria também se reduzir, o que não vem ocorrendo. Com isso, não esperamos que a melhora nas vendas brutas e a boa velocidade de vendas do lançamento, que foi de 47%, tenham efeito positivo nos papéis da companhia.

Direcional (DIRR3) lança só MCMV 2 e 3 nesse trimestre.
100% dos lançamentos da companhia nesse trimestre foram de empreendimentos que se encaixam nas faixas 2 e 3 do programa habitacional, seguindo a transição após as oportunidades nas faixas mais baixas do programa diminuírem, especialmente por conta dos problemas fiscais do governo. E nesse sentido a companhia tem mostrado evolução. A companhia entregou crescimento em lançamentos e vendas no segmento e a velocidade de vendas tem melhorado nos últimos trimestres. Esperamos reação positiva do mercado aos números da Direcional.

Ambev (ABEV3) "brinda" a possível recuperação de beneficio fiscal. O Senado aprovou o retorno do benefício fiscal aos produtores de refrigerantes, que foram perdidos durante a greve dos caminhoneiros. Com isso, as produtoras de refrigerantes voltam a ter crédito de 20% e não mais 4% no Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI), para as indústrias instaladas na Zona Franca de Manaus (AM). Notícia positiva para as empresas do setor, no entanto, agora o projeto ainda segue para a Câmara dos Deputados.

AGENDA DE DIVIDENDOS



Bons negócios