Segunda-feira, 8 de outubro de 2018

 
 

Bom dia,


Inflação corrente e esperada avançam. O IGP-DI apresentou variação de 1,79% em setembro e o IPC-S de 0,53% na primeira semana de outubro, sobretudo em razão da elevação no item combustíveis, bem como pelo reajuste no preço de alimentos. Ademais, a inflação projetada para 2018 também acelerou segundo o Boletim Focus dessa segunda-feira, com a mediana das estimativas para o IPCA indo a 4,40%, ante os 4,05% projetados há um mês. Para os demais indicadores não houve alterações significativas nesta semana.

Bolsonaro e Haddad vão para o segundo turno. O candidato do PSL teve 46% dos votos válidos, uma vantagem de 16,7 p.p. para Fernando Haddad, do PT. Ciro Gomes obteve 12,5% e Geraldo Alckmin 4,8%, votos que serão muito disputados até o próximo dia 28/10. Outro ponto que chamou atenção nas eleições desse domingo, é que o PSL, que até esse ano tinha apenas oito deputados, elegeu 51 candidatos, passando a ter a segunda maior bancada, atrás do PT, com 57 eleitos. Com isso, preocupações quanto a governabilidade de Bolsonaro, caso seja efetivamente eleito, devem arrefecer, dando novo fôlego para a Bolsa paulista.

aBolsas no vermelho. Em dia de liquidez reduzida por conta do feriado de Columbus Day nos EUA, as Bolsas operam ou já fecharam no campo negativo lá fora. Na Europa, a pressão da UE para a Itália reduzir o déficit fiscal não foi bem recebida pelas lideranças locais o que aumenta a tensão na região e as especulações de uma possível saída do país da zona do euro, algo ainda visto pelo mercado como uma possibilidade relativamente remota. O único indicador relevante na agenda hoje foi a produção industrial alemã, que caiu 0,3% em agosto na comparação com julho e 0,1% contra agosto do ano passado e também não ajuda a animar os investidores por lá. Na Ásia, também é feriado no Japão enquanto as Bolsas da China voltam do feriado de uma semana em forte correção negativa. Por aqui, o mercado deve destoar bastante do que acompanhamos lá fora principalmente pela perspectiva de uma governabilidade mais tranquila que o esperado anteriormente caso Bolsonaro seja mesmo eleito no segundo turno, tendo em vista a forte mudança vista na configuração da Câmara e do Senado, que comentamos anteriormente.

 

Câmbio deve pressionar margens da Gol (GOLL4) no 3T18. A companhia divulgou sua prévia operacional do último trimestre, estimando uma margem operacional entre 5,0% e 5,5%, cerca de 7 p.p. abaixo da entregue no mesmo trimestre do ano passado. Além do dólar apreciado, o preço dos combustíveis é responsável por essa redução. Se o combustível é um dos vilões do trimestre, por outro lado, a Gol estima uma redução de 2,5% no restante dos custos. O RASK da Gol, que simplificando é receita operacional dividida pela quantidade de assentos oferecidos, deve crescer entre 4,0% e 4,5%. Como as notícias negativas do trimestre já estão bem precificadas, esperamos reação positiva do mercado à divulgação.

Forjas Taurus (FJTA4) emitirá bônus de subscrição. A companhia irá emitir 74 milhões de bônus de subscrição, sendo que cada bônus dará direito ao seu titular o direito de subscrever uma ação preferencial. Serão emitidas quatro séries com condições distintas, onde o preço varia entre R$ 0,10 e R$ 0,20 com o direito a uma subscrição entre R$ 4,00 e  R$ 7,00 com prazo que vai de abril de 2019 até outubro de 2020. A diluição potencial do exercício é de 53,35% e o movimento visa reduzir o alto endividamento da companhia.

Somos (SEDU3) prestes a fechar capital. A Kroton (KROT3), que adquiriu a Somos nesse ano, convocou AGE para deliberar as condições de fechamento de capital da controlada.

Qualicorp (QUAL3) monta comitê para atender minoritários. A companhia anunciou que o seu conselho de administração deliberou que novas operações com partes relacionadas serão submetidas a assembleia de acionistas, além disso, criou um comitê de governança. Neste mesmo comunicado, informou que o José Seripieri Filho renunciou a totalidade da remuneração variável como diretor-presidente nesse ano e se comprometeu a exercer, até o final deste exercício, a aquisição de ações da companhia no valor da indenização recebida por ele.

AGENDA DE DIVIDENDOS



Bons negócios